ÍNDICE  |  HISTÓRICO  |  EMENDA  |  CARTAS  |  NOTÍCIA  |  DEPUTADOS  |  CLIPPING  |  COMUNICADOS  |  NO JAPÃO  |  CAROS AMIGOS  |  NO RÁDIO  |  COMISSÃO PARLAMENTAR  |  URGENTE  |  ENTREVISTA  |  PRIMEIRA VITÓRIA  |  ABAIXO-ASSINADO  |  DEUTSCHE WELLE  |  AO MINISTRO  |  ATUALIDADES  |  COMO MANIFESTAR  |  GLOBO  |  EM NAGOYA  |  NA SUICA  |  NOTA OFICIAL  |  SWISSINFO  |  ATIVIDADES  |  MANCHETES  |  PARECER APROVADO  |  VITORIA  |  NOSSA VITÓRIA  |  O FUTURO  |  REVELAÇÃO  |  CONTATO  |


"A partir de agora nada mais será como antes, nas relações da metrópole com seus
cidadãos emigrados, porque os brasileiros da emigração tomaram consciência de
seus direitos e de sua força. O movimento Brasileirinhos Apátridas se tornou um
movimento de cidadania de dimensão internacional com lideranças diversas,
dispersas pelo mundo, pessoas que deram seu tempo e mesmo contribuíram
benevolamente.
O movimento Brasileirinhos Apátridas permitiu, na luta pela nacionalidade das
crianças nascidas no Exterior, a conscientização da emigração brasileira e abre
caminho para novas conquistas como a representação das comunidades brasileiras
em Brasília, a reivindicação pelo voto por correspondência para os emigrantes e
uma reformulação do conceito de serviço consular para um melhor atendimento dos
brasileiros, para que não se repita a opacidade sobre a questão da nacionalidade dos filhos dos brasileiros".

Rui Martins, criador e coordenador do movimento Brasileirinhos Apátridas.



MANIFESTAÇÕES FORAM UMA VITÓRIA
DOS EMIGRANTES BRASILEIROS

As manifestações dos Brasileirinhos Apátridas, repercutidas pela mídia brasileira, foram um sucesso. Hoje todos os brasileiros sabem da situação precária e provisória em que viviam e ainda vivem os filhos da emigração.

Mas sabem também que uma nova comissão parlamentar, constituída por deputados da nova legislação eleita no ano passado, tomou a peito solucionar o problema de maneira definitiva.

O parecer favorável à Emenda constitucional 272.00, bela peça jurídica da  deputada Rita Camata, já foi apresentado e deverá ser aprovado dia 5 de junho, como garantem os deputados Carlito Merss, presidente da Comissão, e Leo Alcântara, vice-presidente e filho do antigo senador Lúcio Alcântara, autor da Emenda 272.00, que restitui a nacionalidade brasileira aos filhos da emigração.

Esta é uma vitória do movimento Brasileirinhos Apátridas, hoje o primeiro movimento internacional da emigração brasileira, que, consciente de sua força de mobilização, irá partir para novas campannhas de cidadania em favor dos emigrantes brasileiros, esperando contar com o apoio daws comunidades brasileiras dispersas pelo mundo, tão logo seja definitivamente aprovada a Emenda 272.00.

Desta nossa vitória, participa um jovem suíço, ao qual queremos prestar homenagem - trata-se do informático benévolo (como todos nós), A. M., autor deste site, Brasileirinhos Apátridas, que se tornou internacional, que é citado na Wikipedia, consultado por nossos deputados, diplomatas e pela imprensa.

A essa homenagem, queremos associar o nome do cartunista Ênio Lins, autor da charge Bêbe sem Pátria, que se tornou nosso símbolo e nosso logotipo, hoje conhecido por todos os emigrantes brasileiros.

O movimento Brasileirinhos Apátridas provou que cidadãos organizados podem fazer ouvir sua voz pelo governo e pelo Congresso e se constituiu, por isso, numa autêntica e viva lição de democracia, que deverá sempre ser lembrada às crianças brasileiras do Exterior - seus pais e seus avós, unidos conseguiram mudar a Constituição. Provaram sua força mas provaram também a virtude da democracia, dura conquista que sempre deverão respeitar e defender.

Rui Martins, Brasileirinhos Apátridas.


Em ZURIQUE - Suíça

A Manifestação de Zurique, convocada pela Comissão Pró-Conselho de Brasileiros na Suíça, reuniu, durante duas horas, uma centena de participantes diante do Consulado brasileiro, em alguns momentos embaixo de uma chuva fina.
Essa manifestação, que concluiu a série de mobilizações em todo o mundo, foi a inspiradora dessa moblização internacional.
O movimento comunitário brasileiro na Suíça é dos mais ativos e politizados. Seus grupos em diversas cidades mantêm creches, escolas e promovem um Congresso Brasileiro, no qual se discutem temas ligadas à emigração.
Algumas revistas são editadas, entre ela Ciga Brasil, que permitiu com suas reportagens a criação de um movimento de base para os Brasileirinhos Apátridas. Os grupos Atitude, Raízes, Vivência tiveram ação preponderante na divulgação da campanha pelo reconhecimento da nacionalidade brasileiras aos filhos da emigração.
Mais de mil assinaturas foram reunidas no abaixo assinado ao presidente Lula. Uma carta encaminhando os abaixo-assinados, foi encaminhada ao presidente com as assinaturas dos líderes das comunidades suíças Irene Zwetsch, Sandra Urech, Maria Janota, Marco Antonio Miranda, Flavia Reginato e Rosaangela Stöckli.
Uma caixa pom as petições assinadas foi entregue ao Consul brasileiro em Zuriquee  dever´ser enviada por mala diplomática ao presidente.
No encerramento houve um momento de emoção quando todos entoaram a canção de Geraldo Vandré, na qual uma dos versos é "esperar não é saber, quem sabe faz a hora não espera acontecer".

Pode-se ver esse momento, cliclando-se em Youtube

http://www.youtube.com/watch?v=2wnZRIF7zf4&mode=related&search
                   
www.conselho-brasileiro.ch/images/brasileirinhos/fotos.html



Em TELAVIVE-

De Telavive - Helena Americano Fragman

Oi, apareceram umas 50 pessoas, mas não todos na mesma hora. Colocamos umas faixas que fizemos, e os cartazes. Bandeiras e cores do Brasil. Infelizmente o grupo de batucada e de capoeira deu bolo, mas mesmo assim foi bom. O embaixador desceu, veio falar conosco, e a TV GLobo acompanhou tudo. Nao sei o que sairá, mas espero que sai algo bonito e bom.
E no Japao, como foi?

Jornal Naconal TV Globo

http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM683653-7823-BRASILEIROS+QUE+
MORAM+NO+EXTERIOR+PROTESTAM+PELA+CIDADANIA+DOS+FILHOS,00.html

ou a versão escrita -
http://jornalhoje.globo.com/JHoje/0,19125,VJS0-3076-20070601-284244,00.html

Á noite, no Jornal Nacional,

Brasileiros que moram no Exterior protestaram hoje em frente às embaixadas do Brasil, em vários países, contra a lei que dificulta o reconhecimento de cidadania brasileira aos filhos nascidos fora do país.

Os protestos foram em frente às embaixadas brasileiras na França, na Hungria, no Japão e nos Estados Unidos.

Desde 1994, os filhos de brasileiros que nasceram fora do país têm nacionalidade temporária. A partir dos 18 anos, eles podem confirmar a cidadania, desde que voltem a viver no Brasil e entrem com um processo na Justiça. Os manifestantes estimam que haja duzentas mil crianças nessa situação.

Há sete anos, tramita no Congresso Nacional uma proposta de emenda à Constituição, que prevê o registro de filhos de brasileirios no Exterior em consualdos. Desta forma, eles teriam a nacionalidade brasileira garantida.


____________________________________________________________

Em Washington - EUA

Em Washington - Fernanda Black

relatório do núcleo Brasileirinhos Apátridas pela Fernanda Black
ola rui! a nossa manifestacao teve umas 35 pessoas, pais, maes e criancas. o nosso abaixo assinado foi recebido pelo Ministro Carlos Alfredo Lazary Teixeira, em substituicao ao Embaixador Antonio Patriota que esta de viagem. A manifestacao aconteceu no gramado da embaixada, e tivemos a presenca da Globo, SBT e BBC. Agora mesmo estou dando uma entrevista pro Estadao tb. A embaixada serviu guarana e pao de queijo e fomos muito bem recebidos. as 11 horas, como programado, entregamos a pasta ao ministro, fizemos um discurso, e depois fizemos uma grande roda e cantamos ciranda cirandinha. Agora eh so esperar. Ja ouvi q a manifestacao de Israel passou na globo, vamos ver qto tempo vai demorar pra paassar anossa.
UHU!


 

http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2007/06/070531_brasileirinhosapatridasbg.shtml
'Brasileirinhos apátridas' fazem protesto nos EUA

 

 

A capital americana, mais especificamente o gramado nos fundos da Embaixada brasileira, foi palco nesta sexta-feira de uma manifestação do grupo Brasileirinhos Apátridas.

As crianças têm que optar pela cidadania brasileira aos 18 anos

O clima era de festa de aniversário de criança, com direito a Ciranda Cirandinha, cachorros-quentes sendo servidos aos montes e meninos e meninas brincando com bolhas de sabão. Mas tratou-se de um protesto.

O objetivo do grupo é derrubar uma emenda constitucional aprovada em 1994 que nega cidadania brasileira automática a filhos de brasileiros nascidos no exterior.

Pela emenda, a nacionalidade brasileira só pode ser confirmada a quem reside no Brasil ou opta pela cidadania brasileira perante um juiz federal, após completar 18 anos de idade. Enquanto isso não ocorre, a criança só conta com cidadania provisória.

A jornalista Fernanda Black, de 30 anos, uma das 80 mães da região de Washington envolvida com o movimento, diz que a lei torna paradoxal a situação de crianças como sua filha, Sofia, de três anos, que nasceu na Alemanha. ''Quando ela for visitar os avós no Brasil, vai ter de requerer um visto de turista (se não confirmar a cidadania)'', diz.

 Nós não sabíamos dessa lei. Minha filha é americana, mas é importante que ela tenha a nacionalidade brasileira

 

Garth Black, pai de criança com cidadania brasileira provisória

Cidadania provisória

Assim como ocorre com muitas das crianças residentes em Washington com pais americanos e mães brasileiras, Sofia só conseguiu herdar a cidadania do pai, o americano Garth Black, de 32 anos. ''Nós não sabíamos dessa lei. Minha filha é americana, mas é importante que ela tenha a nacionalidade brasileira'', afirma Garth.

Brasileiros também compartilham da surpresa do pai americano de Sofia. É o caso de Aline Mota Brito, de 33 anos. ''Só soube que meu filho Luca, de três anos, só teria cidadania provisória quando olhei seu passaporte. Ele só poderá se tornar brasileiro após os 18 anos e perante um juiz.''

''Morando fora, fica difícil cumprir essas burocracias. Não faz sentido. Um estrangeiro pode viajar para o Brasil e se tiver um filho por lá, a criança será brasileira. Mas o mesmo não acontece mais com os filhos de brasileiros nascidos no exterior.''

 Não faz sentido. Um estrangeiro pode viajar para o Brasil e se tiver um filho por lá, a criança será brasileira. Mas o mesmo não acontece mais com os filhos de brasileiros nascidos no exterior.

 

Aline Mota Brito, mãe de criança com cidadania brasileira provisória

A situação é mais crítica em países como Japão, Suíça - onde o movimento nasceu - ou Alemanha, onde os filhos de brasileiros que lá residem não podem reivindicar nem a cidadania destas nações, por conta de especificidades das leis locais, e nem a brasileira, devido à emenda constitucional de 94.

Os integrantes do movimento estão confiantes de que a situação irá mudar. Isso, devido a uma proposta de emenda constitucional que já foi aprovada no Senado há sete anos, mas está parada na Câmara. O projeto visa restituir a cidadania automática aos filhos de brasileiros que residem fora do país.

Manifesto e presente

Nesta sexta, os integrantes do Brasileirinhos Apátridas entregaram um manifesto pressionando pela votação da medida a Carlos Alfredo Lazary Teixeira, o ministro-conselheiro da Embaixada em Washington.

Crianças entregaram manifesto à embaixada em Washington

Ele contou que o documento seria encaminhado ao Itamaraty, que o dirigiria à Câmara dos Deputados. Teixeira comentou que acredita que a Câmara irá tomar em breve uma medida favorável aos pais do que chamou de ''pequenos embaixadores do Brasil por enquanto apátridas, mas esperamos que não por muito tempo''.

O representante da embaixada foi presenteado ainda com um ''abaixo-assinado'', que consistia de um quadro marcado com as palmas das mãos das crianças em diferentes cores.

A Embaixada embarcou no clima de festa no playground e distribuiu aos presentes pães de queijo, sucos e refrigerantes.

Além de em Washington, o movimento Brasileirinhos Apátridas promoveu manifestações em Nova York, Tel Aviv, Nagoya, Munique, Genebra, Zurique, Paris, Budapeste, Munique, Roma e Lisboa.

 No jornal O Estado de São Paulo –






 

Em Nagoya Aichi -  JAPÃO

Vídeo de Robert Maxwell
http://robertomaxwell.com/2007/06/03/brasileiros-apatridas-no-japao/



notícias do Japão sob um ponto-de-vista cultural (e nada matemático)

« JAPÃO "CRASSE" A

MTV JAPAN TOP 10 - JUNE, 1ST. »



BRASILEIROS APÁTRIDAS NO JAPÃO

Por problemas técnicos, o vídeo esteve fora do ar. Problema solucionado. Gratos pela compreensão.
 



No dia 1º de junho, o cônsul brasileiro em Nagoya Geraldo Muzzi recebeu a família Tsuhako para a entrega de um abaixo-assinado exigindo que o Congresso Brasileiro vote e aprove o Projeto de Emenda Constitucional 272,00, o qual restitui aos brasileiros nascidos no exterior a partir de 1994 a nacionalidade brasileira nata, sem que eles precisem optar por ela. O vídeo abaixo é a entrevista realizada com Carmen Tsuhako, líder do movimento no Japão. A cobertura completa você lê em Alternativa Regional, disponível em 15 de junho. Leia, também, a entrevista do jornalista Rui Martins, baseado na Suíça e principal articulador do movimento em nível internacional.
Descrição completa da entrega dos documentos no Blog

http://www.apatridasnojapao.blogspot.com/


Dia 1 de junho, dia D no Consulado!!!



Antes de começar a narrativa, quero dizer que esse texto num blog assim tão sociopolitico, hoje terá um tom pessoal, afinal o que aconteceu tem a ver com minha vida, a dos meus filhos e faz parte de uma história: a do Movimento dos brasileirinhos apátridas.
Pois é, fui ao Consulado de Nagoya, com a cara e a coragem, e levei comigo meus pais e meus dois filhos menores, Isabela e Hiroshi, os que são nascidos depois de 1994, aqui no Japão.
No caminho, dentro do trem bala, já tentava imaginar o que aconteceria em Nagoya...a gente faz planos, imagina que outros também estarão nele, mas nem sempre as coisas acontecem como pensamos.
Na frente do prédio do Consulado, já a imprensa me aguardava. Estavam jornalistas de jornais da comunidade (Tudo Bem e Internacional Press), da revista Look, da revista Alternativa, do canal IPC tv e da rede Record.
A movimentação por parte deles foi grande, mas a de pessoas que tenham ido ao Consulado pra participar da movimentação...nenhuma! Ninguém compareceu, além da minha familia.
Tudo bem, até dá pra entender em parte, pois é um dia de semana, todos trabalham, e a maioria mora longe do Consulado, mas a participação da comunidader era importante. A ausência dela mostra que além de não haver infomação, falta interesse, empenho e união em prol de uma causa tão importante e que afeta de modo direto e indireto todos os brasileiros que moram no Japão.
Não vou me prolongar sobre isso, pois o assunto pode ir longe e acabar causando mal estar entre os leitores.
Enfim, vamos ter a mídia divulgando o acontecimento do dia 1.
Já saiu no Brasil ontem dia 1, no canal da Rede Record, num dos jornais deles, a entrevista que dei no Consulado e a entrega das assinaturas.
As demais mídias...aguardem nessa semana ou no maximo na outra pra poder ler.
Continuando, quando foi mais ou menos 14:30hs o Consul pediu para entrarmos no Consulado, ou seja nosso horario foi adiantado em meia hora.
O Embaixador, também Consul, Geraldo Afonso Muzzi nos recebeu muito solícito, humano e simpático! Não estou exagerando, pois ele é assim mesmo, bem acessível.
No gabinete dele, minha familia se sentou, e a imprensa registrou tudo.
Ele começou falando sobre a situação dos brasileirinhos, que o Consulado ao ver deles, deve estar sempre à disposição dos cidadãos, sempre ajudando e não atrapalhando de modo algum.
Estava com a Constituição nas mãos, discorreu sobre o artigo 12, sobre as falhas e erros na revisão dela, e nos apoiou dizendo que é de direito e dever nosso cobrar que façam mudanças na lei lá no Brasil.
Fiz um discurso curtinho, abaixo segue ele. E entreguei as assinaturas.
Ver no blog a continuação.

http://www.apatridasnojapao.blogspot.com/


Em PARIS - França

http://www.youtube.com/watch?v=SaQTuO5RFw0

Galeria de fotos -

Enfim, 2 de junho chegou!

Nossa manifestaçao contou com aproximadamente 50 pessoas entre pais, maes e crianças.

Quando chegamos na porta do Consulado, a policia francesa ja estava nos esperando(!) e tinha todos as dados sobre a manifestaçao.Ela subestimou o numero de partcipantes, pensava que seriamos entre 10 e 20 pessoas.

As 13:45h o Cônsul, Sr Pedro Luis Carneiro de Mendonça juntamente com o vice-consul  Sergio Palazzo abriram os portoes do Consulado .Nos fomos recebidos na sala de atendimento ao publico.

Recolhemos as ultimas assinaturas, fizemos um pequeno discurso e ouvimos as palavras do Cônsul que confirmou o seu apoio à nossa causa .Disse também que deveriamos a partir de agora enviar emails a fim de presionar os deputados.

Fomos acompanhados por jornalistas da Radio France International e do SBT, que nos entrevistaram.

Enfim, bebemos guarana(ha uma maquina dentro do consulado) e saimos felizes da vida com a sensaçao de dever cumprido.

Abraços, Luciana Melo

Para ouvir a RFI (mas este link vale só um dia)
http://www.rfi.fr/communbr/player/player.asp?Player=Win&Stream=
http://telechargement.rfi.fr.edgesuite.net/rfi/bresilien/audio/magazines/r001/
emission_bresilien_22h00_-_22h30_tu.mp3.asx&iframe=
http://www.rfi.fr:80/statiques/playerAudioPageDescDefaut.asp&video=dernier_journal&s2=22&s=220858



em LONDRES - Inglaterra

 Annette Galecki
Oi Rui, aqui em Londres foi tranquilo, nos reunimos no Consulado do Brasil para assinar a peticao, e deviam ter umas 50 pessoas, incluindo as criancas, o Consul e o Consul Adjunto estavam presentes, tiramos fotos e demos entrevista para a revista Verbo, daqui de Londres.....

Gostaria de agradecer a todas as pessoas que compareceram ontem a tarde no Consulado do Brasil para assinar a peticao....segundo o sr Consul, eles encaminharao a peticao ao Presidente Lula e tambem comentarios sobre o dia e a quantidade de criancas que participaram, todas vestidinhas de verde e amarelo, mostrando que o carinho pelo Brasil ja vem de berco....Obrigada, afinal estamos lutando por eles!This message was sent to you by ""Anette Galecki"". To see ""Anette's profile, click:
http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=2396852613989180640


----------------------------------------------------------------------------------------------------------------



Na revista Brazine, da comunidade brasileira na Alemanha

http://www.brazine.de/artikel.asp?rubrik=gemeinschaft&artikel={CEA1C1A4-1027-4D3C-91E3-E845978D29BD}

O Brasil está na área!


31 de maio de 2007 - Brasileirinhos Apátridas: manifestações em consulados e novos contatos
Por SANDRA MEZZALIRA GOMES
colaboração especial de RUI MARTINS
O movimento Brasileirinhos Apátridas está crescendo e chamando cada vez mais atenção. Recentemente, a imprensa brasileira como o renomado "Folha de São Paulo" deu destaque especial em reportagem de domingo para o caso.

Mães e pais que participantes do movimento estão em plena agitação preparando manifestações previstas em, no mínimo, oito Consulados, em favor da aprovação da emenda 272.00, que restitui a nacionalidade brasileira nata aos filhos de brasileiros nascidos no Exterior.

No Japão, Carmen Lúcia Tsuhako tem mais de 1500 petições assinadas para serem entregues amanhã, sexta-feira, ao Consulado de Nagoya.

Na Suíça, o Pró-Conselho Brasileiro, que congrega as comunidades brasileiras em diversas cidades, já reuniu mais de mil adesões que serão levadas ao Consulado de Zurique, no sábado.

De Telavive, Helena Americano Fragman, representante local dos Brasileirinhos Apátridas, informa haver mobilização entre a comunidade brasileira.

Já em Washington, a líder do movimento local Fernanda Black obteve a autorização para reunir os brasileiros no jardim da Embaixada Brasileira, antes da entrega das petições assinadas. Mesmo clima em Paris, Budapeste, Londres e expectativa em Toronto, no Canadá.

No Japão, Zurique e Paris haverão faixas com o nome do Brasileirinhos Apátridas e com seu logotipo - o bebê com uma interrogação no peito, desenhado pelo cartunista Ênio Lins, de Brasília.

As crianças também pintarão os rostos e vestirão camisetas com as cores verde-amarela.

Em Berlim o movimento conta com a simpatia de vários membros da comunidade brasileira e ainda, da própria Embaixada, que está disposta a receber os manifestantes se anteriormente anunciados.

Enquanto isso, em Brasília, a deputada Rita Camata, relatora da Comissão Parlamentar encarregada do Projeto de Emenda Constitucional 272.00, confirma que seu parecer favorável estaria pronto ainda hoje.

A emenda será votado em 5 de junho, dia marcado pelo presidente da Comissão, o deputado Carlito Merss, que no momento está viajando.

Espera-se que esse ligeiro atraso não dificulte a votação da mesma pelo plenário da Câmara, que deve ocorrer em duas sessões, ainda em junho.

Embora não haja controvérsia quanto à necessidade de aprovação da matéria, o grupo Brasília, dos Brasileirinhos Apátridas irá contatar todos os deputados, na próxima semana, assim como está preparando pedidos de audiência com o presidente da Câmara, com o ministro Celso Amorim, das Relações Exteriores e com o presidente Lula.

Quando aprovada a Emenda 272.00, entrará em vigor a medida complementar que normaliza a situação dos filhos de brasileiros nascidos fora do Brasil depois do dia 7 de junho de 1994, que vai coroar os esforços do movimento de cidadania Brasileirinhos Apátridas.

Este, embora de díficl arregimentação no início, consegue hoje reunir dezenas de milhares de pessoas, se tornando assim na primeira mobilização internacional da emigração brasileira, abrindo caminho para uma federação das comunidades de emigrantes.

Resolvida então esta etapa, começará a campanha para a aprovação da Emenda 05.05 que cria quatro deputados federais emigrantes e ainda, reivindicação a favor do voto por correspondência para os emigrantes.

O movimento possui sua homepage e comunidades na rede de relacionamento Orkut. Para quem quer assinar a manifestação ou adquirir mais informações, clique abaixo.


------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Complemento -
Carta ao presidente Lula, enviada pela comissão Pró-Conselho de Brasileiros na Suíça

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::


COMISSÃO PRÓ-CONSELHO DE BRASILEIROS NA SUÍÇA
Coordenação de Assuntos Especiais

Zurique, 2 de junho de 2007

Exmo Sr. Luiz Inácio Lula da Silva,
Presidente da República Federativa do Brasil

A Comissão Pró-Conselho de Brasileiros na Suíça envia-lhe, em anexo, os abaixo-assinados colhidos em favor da restituição da nacionalidade brasileira nata aos filhos de brasileiros nascidos no Exterior.
Nossa campanha inspirou outras associações e grupos de brasileiros em outros países e, com o apoio do movimento Brasileirinhos Apátridas, os dias 1 e 2 de Junho de 2007,  registram as primeiras manifestações internacionais da emigração brasileira, hoje equivalente a cerca de 4 milhões de brasileiros, com mais de 200 mil crianças correndo o risco de se tornarem apátridas aos 18 anos, apesar de seus pais enviarem ao Brasil cerca de  6 a 8 bilhões de dólares anuais.

Solicitamos seu apoio na agilização dos trabalhos da Comissão Parlamentar responsável pelo PEC 272/00, cuja instalação foi  uma resposta à mobilização dos emigrantes brasileiros, num autêntico movimento de cidadania.

Os deputados Carlito Merss e Leo Alcântara -, respectivamente presidente e vice-presidente da Comissão Parlamentar, assim como a relatora Rita Camata, prometem uma rápida votação da PEC 272/00. Esperamos que o presidente da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia, coloque essa emenda em votação, ainda este mês.

Os brasileiros da emigração, hoje constituindo um Estado exterior da Federação, tomaram consciência de seus direitos e de sua força. Surgiu um movimento de cidadania de dimensão internacional, abrindo-se agora o caminho para novas conquistas como a representação parlamentar dos emigrantes em Brasília, a reivindicação pelo voto por correspondência para os emigrantes e uma reformulação do conceito de serviço consular, para que não se repita a opacidade ocorrida com a questão da nacionalidade dos filhos dos brasileiros.

A emigração brasileira hoje deve ser ajudada no sentir de preservar a língua e a cultura brasileiras, pois muitos dos filhos e netos da emigração provavelmente retornarão com experiência de trabalho, comércio e estudo universitário no Exterior, enriquecendo assim o Brasil.

Seguem cópias para o presidente da Comissão Parlamentar, Deputado Carlito Merss. Solicitamos sejam encaminhadas cópias ao ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim.

Atenciosamente,

Comissão Pró-Conselho de Brasileiros na Suíça,

Irene Zwetsch,  Rosangela Stöckli, Flavia Reginato, Marco Antonio Miranda,
Sandra Urech, Maria Janota. Pelos Brasileirinhos Apátridas, Rui Martins.


to da página - para trás ao menu